Uma publicação da:

desde 1998

HORMÔNIOS

BIOIDÊNTICO NANOESTRUTURADO É SAÚDE

Ano VII | ® Editora Conceito, desde 1998 | ISSN 2359-4578 | Editora-chefe: Marta DePaula | Editor-científico: Dr. Luiz Alberto da Fonseca CRO-SP 43730 |  Jornalista: Cezar Brites Mtb 15732


Use a arma secreta do seu corpo na luta contra a gripe

Dr. Rondó      segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Compartilhe esta página com seus amigos

Um estudo recentemente, publicado pela American Journal of Clinical Nutrition, confirmou aquilo que venho dizendo há anos: a vitamina D reduz drasticamente o risco de contrair a gripe… sem necessidade de uma vacina antigripal. Então, se você quer realmente evitar a contaminação pela gripe neste inverno, esqueça a vacina e tome uma dose de vitamina D.

Em outro estudo duplo-cego e controlado por placebo, os pesquisadores deram 1.200 UI’s diários de vitamina D3 à metade de um grupo de 334 crianças.  A outra metade recebeu uma substância neutra.

No final de quatro meses, os pesquisadores descobriram que a vitamina D reduziu a incidência da gripe em 8%.  Por outro lado, verificou-se que a vacina antigripe ofereceu mero 1% de redução na incidência da doença.  Em outras palavras, quando se trata de prevenção, a vitamina D é 8 vezes mais eficaz do que a vacina contra a gripe.

Além disso, a vitamina D é muito mais segura. Diferente da vacina contra a gripe, a sua eficácia não é baseada na cepa específica da gripe daquele ano, não há data de validade e o melhor de tudo, é absolutamente GRÁTIS!

Pelo o que sabemos sobre o impressionante Curriculum Vitae da vitamina D, este último benefício não deve ser uma surpresa.  A vitamina dá às suas células brancas o empurrão que elas precisam para expulsar os invasores.  E por causa das suas propriedades antiinflamatórias, ela pode reduzir os sintomas se você de fato ficar doente. E isso não é tudo o que ela faz!

Um estudo publicado no jornal Nature descobriu que a vitamina D é um antibiótico natural.  Embora ela não ataque diretamente a bactéria, ela dá ao seu corpo o que ele precisa para cuidar desses agressores sozinho.  Ela faz isso ao aumentar a sua produção de peptídeos antimicrobianos, uma classe de proteínas que procuram e destroem vírus, bactérias e fungos.

Acrescente essa descoberta a outros estudos que mostraram que a vitamina D pode reduzir o seu risco de doenças gengivais, diabetes, câncer e doenças autoimunes, e você terá que perguntar se há algo que este hormônio não possa fazer.  Sim, a vitamina D é tecnicamente um hormônio.

Mas, ainda com todas essas boas ações da vitamina D, eu tenho algumas más notícias. Graças ao grande esforço da propaganda para demonizar o sol, a maioria das pessoas estão lamentavelmente deficientes. Isto significa que você precisa dar uns passinhos a mais para ativar a arma antigripe do seu corpo. Lembre-se sempre de que o sol é a sua principal fonte da vitamina D.

É verdade que há pequenas quantidades da vitamina D em alimentos como a sardinha, o arenque, o salmão, no leite pasteurizado que você encontra no supermercado. Mas para que você alcance níveis ideais é necessário comer porções gigantescas desses alimentos para obter uma fração da quantidade de vitamina D que o seu corpo necessita diariamente.

Por outro lado, se ficar exposto apenas 20 minutos ao sol, você carregará o seu corpo com aproximadamente 20.000 UI’s de vitamina D.

Você já se perguntou por que a gripe é mais prevalente no inverno do que no verão? Saiba que o frio não te deixa obter a vitamina D do sol da mesma forma como você consegue em épocas mais amenas. Já que o sol está em um ângulo menor durante o inverno, os raios UVB não passam pela atmosfera da mesma forma e não entram em sua pele com a mesma eficiência. Como resultado, o seu nível de vitamina D cai ao ponto mais baixo nesta época do ano.

E se você acha que tomar a quantidade diária recomendada (200 UI’s) não vai funcionar, pare e pense melhor. Até a Academia Americana de Pediatria admite que as crianças precisam de pelo menos o dobro desta quantidade. E o Instituto de Medicina diz que é seguro tomar até 2.000 UI’s.

Cheque os seus níveis sanguíneos de vitamina D (25 hidroxi D) para ver como você está e aí converse com o seu médico sobre a quantidade certa para o seu caso. Mas não deixe de inserir a vitamina D em sua vida. Afinal de contas, ela é sua principal arma na dura luta contra a gripe!

[divider]

Referências bibliográficas:

  • Randomized trial of vitamin D supplementation to prevent seasonal influenza A in schoolchildren,” Urashima M, Segawa T, et al, Am J Clin Nutr, 2010 March 10.
  • Association between serum 25-hydroxyvitamin D level and upper respiratory tract infection in the Third National Health and Nutrition Examination Survey,” Ginde AA, Mansbach JM, Camargo CA Jr, Arch Intern Med, 2009; 169(4): 384-90.

Fonte: www.drrondo.com

 
 

Comentários

Hormônios são os responsáveis pela regulação das atividades fisiológicas  e comportamentais como o sono, o humor, a digestão, o metabolismo, a respiração, a função tecidual, a percepção sensorial, a excreção, a lactação, o estresse, o crescimento, o desenvolvimento, o movimento e a reprodução.





É assim que os nossos HORMÔNIOS agem...

   A boca normalmente vem acompanhada de rins, pâncreas, fígado, coração, pulmões...e tudo o que for feito terá ação sistêmica.
O mesmo HORMÔNIO que lubrifica a articulação mandibular, lubrifica seu joelho! O mesmo HORMÔNIO que determina sua osseointegração no implante dentário, determina sua osteoporose e o mesmo HORMÔNIO que melhora a sua gengivite, melhora a qualidade do seu sono... Dose seus HORMÔNIOS!!

LEIA MAIS AQUI!

 


CÉREBRO




A boca não está separada do restante do corpo, e várias alterações sistêmicas influenciam diretamente na saúde bucal. Diabetes, inflamações, infecções, alterações hormonais etc- todas essas condições têm influência na saúde das gengivas e ossos. Infecções dentárias também podem se disseminar facilmente por várias partes do corpo. Um microorganismo da boca pode entrar na circulação sanguínea e provocar danos às artérias ou outras doenças.
Através de exames podemos identificar alterações que podem interferir nos resultados dos tratamentos realizados.

Leia mais aqui!