Uma publicação da:

desde 1998

HORMÔNIOS

BIOIDÊNTICO NANOESTRUTURADO É SAÚDE

Ano VII | ® Editora Conceito, desde 1998 | ISSN 2359-4578 | Editora-chefe: Marta DePaula | Editor-científico: Dr. Luiz Alberto da Fonseca CRO-SP 43730 |  Jornalista: Cezar Brites Mtb 15732


OS ESTROGÊNIOS

JCS      sábado, 5 de outubro de 2019

Compartilhe esta página com seus amigos

Os estrogênios são hormônios importantes para o desenvolvimento sexual e reprodutivo, principalmente da mulher. São referidos como hormônios sexuais femininos. O termo “estrogênio” refere-se a todos os hormônios quimicamente similares neste grupo, que são estrona, estradiol (primário em mulheres em idade reprodutiva) e estriol.

Função do estrogênio
O estrogênio é produzido principalmente nos ovários que são glândulas do tamanho de uva localizadas pelo útero e fazem parte do sistema endócrino. Ele também é produzido pelas células de gordura e pela glândula adrenal. No início da puberdade, o estrogênio desempenha um papel no desenvolvimento das chamadas características sexuais secundárias femininas, como seios, quadris mais largos, pelos pubianos e pelos nas axilas.
 
O estrogênio e o ciclo menstrual
Regula o ciclo menstrual, controlando o crescimento do revestimento uterino durante a primeira parte do ciclo. Se o óvulo não for fertilizado, os níveis de estrogênio diminuem acentuadamente e a menstruação começa. Se o óvulo foi fertilizado, o estrogênio trabalha com a progesterona, outro hormônio, para interromper a ovulação durante a gravidez.
Durante a gravidez, a placenta produz estrogênio, especificamente o hormônio estriol. O estrogênio controla a lactação e outras alterações nas mamas, durante a gravidez.     
O estrogênio é fundamental na formação óssea, trabalhando com a vitamina D, cálcio e outros hormônios para efetivamente quebrar e reconstruir os ossos de acordo com os processos naturais do corpo. À medida que os níveis de estrogênio começam a diminuir na meia-idade, o processo de reconstrução dos ossos diminui, com as mulheres na pós-menopausa eventualmente quebrando mais ossos do que produzem. É por isso que as mulheres na pós-menopausa têm quatro vezes mais chances de sofrer de osteoporose do que os homens.
O estrogênio também desempenha um papel na coagulação do sangue, mantendo a força e espessura da parede vaginal e do revestimento uretral, lubrificação vaginal e uma série de outras funções corporais importantes.

Esse importante hormônio tem influência sobre a pele, o cabelo, as membranas mucosas e os músculos pélvicos. Por exemplo, o estrogênio pode tornar a pele mais escura. Alguns pesquisadores esperam usar essas informações para criar loções bronzeadoras seguras, ativando a reação de escurecimento da pele no estrogênio, sem provocar outras alterações no corpo devido ao hormônio. 
O estrogênio também afeta o cérebro, e estudos também mostram que estando os níveis cronicamente baixos estão ligados a um humor reduzido.

Estradiol NÃO Engorda 
 
Na Fisiologia, buscamos sempre o EQUILÍBRIO.
O Estradiol, tanto no homem como na mulher, é fundamental para aumentar a libido atuando ao lado da testosterona. O excesso bem como a falta de estradiol baixam a libido.
Ele também é fundamental em ambos os sexos no controle do apetite e da lipogênese, ou seja, na falta dele ou no excesso você vai comer mais e produzir mais gordura. 

Isto fica claro na menopausa, quando a maioria das mulheres sem reposição hormonal engordam muito prejudicando seu metabolismo energético e libido. #doseseushormonios

Comentários

Hormônios são os responsáveis pela regulação das atividades fisiológicas  e comportamentais como o sono, o humor, a digestão, o metabolismo, a respiração, a função tecidual, a percepção sensorial, a excreção, a lactação, o estresse, o crescimento, o desenvolvimento, o movimento e a reprodução.





É assim que os nossos HORMÔNIOS agem...

   A boca normalmente vem acompanhada de rins, pâncreas, fígado, coração, pulmões...e tudo o que for feito terá ação sistêmica.
O mesmo HORMÔNIO que lubrifica a articulação mandibular, lubrifica seu joelho! O mesmo HORMÔNIO que determina sua osseointegração no implante dentário, determina sua osteoporose e o mesmo HORMÔNIO que melhora a sua gengivite, melhora a qualidade do seu sono... Dose seus HORMÔNIOS!!

LEIA MAIS AQUI!

 


CÉREBRO




A boca não está separada do restante do corpo, e várias alterações sistêmicas influenciam diretamente na saúde bucal. Diabetes, inflamações, infecções, alterações hormonais etc- todas essas condições têm influência na saúde das gengivas e ossos. Infecções dentárias também podem se disseminar facilmente por várias partes do corpo. Um microorganismo da boca pode entrar na circulação sanguínea e provocar danos às artérias ou outras doenças.
Através de exames podemos identificar alterações que podem interferir nos resultados dos tratamentos realizados.

Leia mais aqui!