Uma publicação da:

desde 1998

Ano VII | ® Editora Conceito, desde 1998 | ISSN 2359-4578 | Editora-chefe: Marta DePaula | Editor-científico: Dr. Luiz Alberto da Fonseca CRO-SP 43730 |  Jornalista: Cezar Brites Mtb 15732



Hormônio Ocitocina rege a relação sócio afetiva entre o Homem e seu animal!

Marta DePaula      segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Compartilhe esta página com seus amigos
Da redação: Setor de Estudos e Pesquisas do JCS

Uma pesquisa feita por Miho Nagasawa, do departamento de biotecnologia da Universidade de Azabu, no Japão, analisou a troca de olhares atenciosos entre cachorros e seus donos. Seus resultados mostraram que quanto mais tempo o cão se mostrava atencioso com o dono, mais oxitocina era liberada.

Não por coincidência, esses donos se consideram mais felizes com a relação que tinham com seus animais de estimação.

Aqui na redação do jornal temos a "Olivia", adotada e com guarda e amor compartilhado por todos.

O hormônio oxitocita, promove a afeição, diminui o stress, a pressão arterial e incentiva o instinto de proteção. A ciência já mostrou o quanto esse hormônio é importante nas relações humanas - mas, agora, ficou provado que ele também atua na relação entre humanos e cachorros. 
Situações entre humanos em que se libera ocitocina são largamente conhecidas.  
Mais contato, mais ocitocina, pelos resultados da pesquisa de Linda Handlin, sueca da Universidade de Skövde que também estuda essas relações brincar, ter contato, ser lambido (há quem considere lambida uma espécie de beijo canino), gera o aumento não só de ocitocina, mas a queda de cortisol (relacionado ao nível de stress) e do batimento cardíaco. 
Dado importante: as melhores bioquímicas só se apresentam se você encarar a sua relação com o animal pelo viés prazeroso da situação e não considerar os cuidados e o trato como uma espécie de fardo, de obrigação.

Em um outro experimento, realizado na Universidade de Pretoria (África do Sul), donos e cães foram colocados em uma sala por 30 minutos. Depois, amostras de sangue comprovaram queda de pressão sanguínea, aumento não só de ocitocina, mas de uma série de hormônios importantes como beta endorfinas (ligadas a sensações de bem-estar e e alívio de dor), a prolactina (que promove a produção de leite e aumento das mamas), feniletilamina, que libera dopamina (relacionada ao prazer, atua no aprendizado, afeta o humor e também a memória e o sono).

A sensação de prazer a quantidade de reações bioquímicas geradas pelo contato com animais de estimação (os testes foram feitos somente com cães) são consideravelmente maiores, por exemplo, do que ler um livro.

É fisiológico termos um animal. Faz bem para ambos quando há companheirismo e muuuuito amor, pois é isso que estimula a felicidade.
Trate com amor o seu companheiro de quatro patas e receba a sua dose diária desse fantástico hormônio Ocitocina.

Comentários








Parceiros do Jornal




Busque por #Hashtags


Dose seus hormônios

Segundo a ciência, os desruptores endócrinos podem provocar estragos diversos no organismo, que vão de obesidade a câncer, passando por distúrbios na tireoide.
A ciência está descobrindo que produtos do nosso cotidiano, como esmaltes, televisão e até água encanada, escondem substâncias capazes de alterar o funcionamento do nosso corpo.
Você sabia que os desruptores endócrinos são compostos artificiais ou naturais que interferem na ação dos nossos hormônios e nos expõem a doenças? Hoje, há suspeitas sobre mais de 800 misturas químicas. “Elas estão na indústria e na agricultura e entram no corpo pela ingestão de água, de alimentos e pela respiração”, diz a química Débora Santos, da Universidade Federal de Pernambuco. Essa também é uma boa razão pela qual você deve dosar seus hormônios.

#protocolobotelho

#avidasemmedicamentos