Maior Portal Sobre Hormônios
   Uma publicação da Editora Conceito

Ano VII | ® Editora Conceito, desde 1998 | ISSN 2359-4578 | Editora-chefe: Marta DePaula | Editor-científico: Dr. Luiz Alberto da Fonseca CRO-SP 43730 |  Jornalista: Cezar Brites Mtb 15732

Apneia e Ronco

Dr. Rogério Pavan      terça-feira, 26 de novembro de 2019

Compartilhe esta página com seus amigos

Ronco: Representa uma dificuldade respiratória, é um problema de saúde e deve ser tratado como tal, aparece quando o ar encontra dificuldade em passar na via respiratória.

Apnéia: Bloqueio momentâneo da respiração que acontece durante o sono e é seguida de inspiração forte que muito se parece com o ronco, se tem a sensação que esta engasgando.

 

O Dr. Rogério Pavan é pioneiro no tratamento de ronco e apnéia por intermédio de aparelhos bucais no Brasil, pois em 1994 criou um dispositivo chamado “DARA” (dispositivo anti-ronco e apnéia), que apresenta excelentes índices de resultado, ou seja, 85% de redução do ronco e da apnéia em média. De 1994 para cá 5 novas gerações de aparelhos foram criadas para atender os mais diversos tipos de casos, e além dos aparelhos de compensação bucal, Dr. Rogério Pavan desenvolveu também uma técnica que possibilita o tratamento do ronco e da apnéia por reabilitação bucal que é na verdade a troca de próteses dentárias convencionais por próteses com o conceito da Biocibernética Bucal.

 

      Antigamente se tinha o conceito de que roncar não provocava danos à saúde, no entanto o Dr. Rogério Pavan, desde 1994 já alertava para o problema, uma vez que elaborou uma pesquisa para provar que os roncadores tinham um déficit respiratório de 30%, e o ronco funcionava como um alarme para avisar que o corpo estava com dificuldade para respirar, portanto, o ar para conseguir passar, forçava estruturas da boca fazendo-as vibrar, assim produzindo o som do ronco, portanto, pode–se concluir que quanto mais alto for o ronco maior é a dificuldade respiratória do indivíduo.

 

Como saber se ronca? Como saber se tem apnéia?

 

      Deve estar atento aos sintomas, caso você não tenha um companheira (o) para lhe dizer se esta roncando, observe se ao acordar sua garganta ou boca esta seca ou irritada, pois com a respiração bucal comumente associada ao ronco, o indivíduo desidrata a superfície das mucosas (tecido que reveste a boca, bochecha internamente) e pode ter rachaduras nos lábios. Outro fator a ser avaliado é a qualidade respiratória, em algumas situações o indivíduo deita-se respirando pelo nariz e acorda respirando pela boca, pois seu nariz tranca durante o sono, em alguns casos logo ao deitar a pessoa sente seu nariz fechar. Este tipo de sintoma não esta associado a problemas nasais, o travamento só ocorre porque a língua bloqueia a via respiratória na garganta, portanto, a respiração nasal perde eficiência, induzindo assim a respiração bucal e o fechamento do nariz.

      Todas as pesquisas realizadas pelo Dr. Rogério Pavan apontam como causas do ronco e da apnéia, falhas no crescimento das arcadas, tudo começa ainda na infância onde o crescimento bucal pode não atender a necessidade da via respiratória, em muitos casos crianças em idades muito precoces começam a roncar, outras vezes o surgimento do problema aparece na fase adulta, mais a causa comum é uma só: arcadas subdesenvolvidas que não conseguem acomodar adequadamente a língua.

     Alguns sintomas são bastante clássicos e estão quase sempre associados aos quadros de ronco e principalmente apnéia. Necessidade de levantar para urinar durante a madrugada é um dos sintomas que está diretamente associado à ineficiência do sistema respiratório. Acordar indisposto ou até mais cansado do que quando foi deitar, revela a completa falta de capacidade do corpo recarregar suas “baterias”, em conseqüência disto, o indivíduo tem sonolência durante o dia, falhas de memória, dificuldade de concentração e indisposição geral para seus afazeres diários. Com a evolução do quadro podem surgir alterações da pressão arterial, que somado as situações de parada respiratória (apnéia), elevam em cerca de 30% o risco em relação a infartos e acidente vasculo cerebral (AVC - derrame), Estudos internacionais mostram que a apnéia predispõe o paciente ao Mal de Alzheimer, Mal de Parkinson, asma noturna e epilepsia noturna.

 

Lista dos sintomas mais comuns:

  • Urinese noturna (levantar para urinar na madrugada)
  • Indisposição ao levantar
  • Dores de cabeça na madrugada ou logo pela manhã
  • Acordar com o “próprio ronco”
  • Dores, dormência e sensação de braços e pernas pesados.
  • Sonolência.
  • Indisposição para os afazeres (sensação de preguiça).
  • Aumento de pressão arterial
  • Pesadelos com sufocação ou falta de ar.
  • Dificuldades de ereção e queda na libido.
  • Taquicardia noturna (acordar com o coração disparado).

 

Como funciona o aparelho bucal?

       Trata-se de um dispositivo muito simples, que é colocado sobre os dentes e tem como intuito ampliar o espaço interno da boca, é muito discreto e não tem nenhum acessório externo, a adaptação é simples e acontece na maioria dos casos em 3 dias. O tratamento é indolor e dura de 6 a 8 meses, seu intuito principal é compensar o sistema respiratório, após o período de tratamento o paciente recebe alta e continua o uso regular dos aparelhos bucais que acontece apenas no período noturno. Os resultados podem ser observados nos primeiros dias de uso.

 

    Tratamento adequado para cada caso!

               O aparelho de uso noturno não é a única forma de tratamento, em muitos casos a solução é a correção dos dentes e a promoção do crescimento das arcadas, frequentemente crianças estão roncando devido às arcadas pequenas e a solução passa longe das cirurgias de adenóides e amídalas, o caminho é ampliar o espaço de arcada para que a língua desbloqueie a via respiratória.

             Existem algumas situações que a causa do ronco e da apnéia é uma prótese inadequada, portanto, uma simples troca das próteses pode solucionar até 70% dos casos.

Comentários

Pilares da Saúde